Vídeos interessantes sobre Autismo.

Loading...

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Uma História Emocionante - Dona Josefa mãe de um Autista (Daniela Bolzan)

Olá queridos Leitores, 
Hoje venho compartilhar com todos vocês, uma história de vida de uma Senhora hoje com 89 Anos que foi mãe de um garoto Autista.

Conheci essa Senhora, DONA JOSEFA em uma casa de repouso a qual faço visitas constantemente.
Essa Linda Senhora me chamou e seus olhos azuis e brilhantes chamaram minha atenção, pois eram como cristais, brilhavam tanto que eu podia me ver em suas pupilas. 
Começamos a conversar  sorridentes, até que ela perguntou-me:
-Você é casada minha rosa? 
- Não, sou solteira, mas tenho um filhinho Autista de cinco Anos. Respondi a ela.
Nesse instante ela me olhou tão profundamente e pediu que eu me sentasse e começou a me contar parte de sua vida.
Ela começou a dizer-me que ela teve um filho aos vinte anos de idade, naquela época era tudo tão diferente, o namoro dela seu esposo foi muito difícil, pois os pais não aceitavam. Até que um dia ela e o esposo decidiram fugir para se casar, passaram por muitas dificuldades, mas sempre estavam juntos. Conseguiram uma casinha para morar e o esposo trabalhava na roça e ela ajudava no que era necessário. Ela engravidou e eles muito felizes com a notícia se amavam cada vez mais... 
O filho nasceu, um menino,  chamaram-no de José, um menino lindo, cheio de energia... José trouxe luz e felicidade para sua casa.
Conforme ele foi crescendo ela começou a perceber que algo estava errado, ele não se comunicava com os pais, e não falava nenhuma sílaba, não se interessava por outras crianças, então eles o levaram até a cidade em um médico e o médico disse que ele era deficiente mental, que ele não iria falar e que não tinha o que fazer.
Ela conta que todos a excluíram de tudo, o esposo sabendo dessa notícia começou a culpar Dona Josefa por o filho ser assim, e arrumou suas coisas e foi embora de casa, no que ele estava saindo com a mala, ao atravessar a linha do trem em que  moravam próximo o trem o pegou e infelizmente ele faleceu. Dona Josefa desesperada não deixou seu filho em momento algum, mesmo em tanto desespero e tristeza teve forças para continuar seguindo e cuidando de seu filho. Uma vizinha o ajudava e ela conta que teve momentos que precisou amarrar o filho no pé da cama pois ele ficava muito agitado e jogava os móveis da casa. Ela sem saber o que fazer o amarrava no pé da cama e ele tentava sair do quarto puxando a cama em direção à porta. Eram momentos de muita tristeza. Até que essa vizinha que os ajudava decidiu mudar para a cidade e quis levar Dona Josefa e José junto. José resistiu a mudança, mas com muita agitação, a  casa que mudaram tinha portão e ela se sentia esperançosa e feliz... Ela começou a costurar pra fora e assim foram vivendo. Ela conta que José mordia ela, se mordia, se jogava no chão e ninguém sabia dizer o que ele tinha...
José já estava com catorze anos e não frequentava escola, as pessoas nem chegavam perto dele, tinha crises de grito constante e incomodava a vizinhança. Dona Josefa tinha que o amarrar nos lugares, pois ele queria pular o portão. Foi muito difícil para ela.
Até que um dia, Dona Josefa costurando, ouviu um barulho e foi correndo para ver, foi quando viu o filho que tinha sido atropelado, ele se desamarrou e pulou o portão... José bateu a cabeça e faleceu no Local.
Dona Josefa ficou desesperada e ficou anos e anos sozinha e excluída de todos. Ela conta que a dor que ela sentiu foi a maior dor do mundo...
Sua amiga que sempre estava com ela o ajudou muito e vive com ela hoje nessa casa de repouso.
Ela descobriu o que era autismo  através de uma enfermeira da casa de repouso, elas conversavam e contando como era José a enfermeira lhe disse que era Autista. 
Foi um momento muito comovente ela mostra a foto do filho com carinho e conta que se as coisas fossem mais fáceis antigamente da maneira que é hoje, seu filho teria vivido melhor, e talvez prolongado sua vida.
Confesso que não pude conter minhas lágrimas diante dessa experiência, mas  posso dizer que com essa história nós mães de Autistas somos abençoadas em ter nossos filhos nessa etapa da vida...
Dona Josefa disse que hoje ela compreende muitas coisas que aconteceram na vida dela lá traz.
E me disse que  somos mães iluminadas, pois só que é mãe de um autista sabe compreender o valor de pequeninas coisas, pequeninas mesmo, que para muitos não faz diferença mas para nós é tudo.
Fiquei muito feliz em conhecer Dona Josefa, uma senhorinha tão lúcida, alegre, vaidosa, adora uns brincos grandes e pintar as unhas... Quando cantamos na casa de repouso ela fica tão alegre e dança um forró danado. 
Para mim foi muito importante esse encontro, pois apenas ouvindo a experiencia dos idosos é que compreenderemos nosso verdadeiro eu. O eu da vitória, o eu da justiça, o eu da sabedoria que somente quem já viveu mais pode ter.
Vim compartilhar com vocês caros leitores, para que vocês possam encontrar forças quando se sentirem abatidos e sem energia em algum idoso que pode estar perto de você; Somente pelo simples gesto de ouvir uma pessoa idosa, você se sentirá mais forte para tudo e todos, pois Deus está sempre do lado daqueles que têm respeito e amor pelo próximo. 
Obrigada
Carinhosamente
Daniela Bolzan