Vídeos interessantes sobre Autismo.

Loading...

terça-feira, 8 de março de 2011

A influência das fases da lua no Comportamento de Autistas. Daniela Bolzan





A influência lunar em quadros autísticos.

Já freqüentei alguns lugares especializados para atender crianças com quadros autísticos e patologias associadas.
Eu já havia ouvido algo sobre a influência da lua nas pessoas com especialidades mentais,e até mesmo nos autistas e sempre fiquei na dúvida se era lenda ou verdade.
Conforme o quadro autístico de meu filho foi se agravando com aparecimento de novos sintomas, comecei a perceber que em alguns períodos do mês ele realmente esta “atacado”, “nervoso” e demonstrando agressividade.De  um tempo pra cá, comecei a prestar mais atenção, e o comportamento dele varia de uma forma impressionante. As “crises” de choro, nervosismo e irritabilidade que ele apresenta dura mais ou menos o tempo que dura um ciclo lunar. Em certos momentos meus familiares percebem que ele está com seu comportamento tranqüilo, então se aproximam e brincam, as vezes até comentam que naquele dia aparentemente não tem nada, está bem tranqüilo. Mas em outros momentos, ele não aceita nem sair de casa, apresenta medo de tudo e todos, se anoitecer ele apresenta medo das sombras de postes de iluminação, e sua agressividade aumenta, a irritabilidade é muito visível, nada está bom para ele neste período.
Até que um dia comecei a prestar atenção e percebi com a ajuda de meu Avô, Bisavô de Gabriel que essas mudanças repentinas de humor e comportamento coincidiam com a mudança do ciclo lunar.
 Então comecei levantar dados em pesquisas, e achei coisas interessantes.

A Lua é o astro luminoso mais próximo da terra. Tem um diâmetro de 3.460 km, está distante da terra cerca de 382 .400 km.
Também é o astro que, além das repercussões que a sua força de atração exerce sobre o planeta que habitamos, influi de modo mais direto sobre o caráter, o destino e o funcionamento dos seres vivos.
As fases da lua ou variações chama-se SINÓDICA e tem 29 dias de duração.
Há também o movimento SIDÉRIO, em relação às estrelas que dura 27 Dias.

O médico psiquiatra Arnold Lieber começou com a sua investigação sobre a Lua, quando era ainda um estudante de medicina. Quando trabalhava com doentes mentais, reparou que estes ficavam mais perturbados em ciclos regulares, outros médicos notavam padrões de aumento periódicos em úlceras e em ataques epilépticos.

A partir dessa base, o Dr. Lieber iniciou um projeto que se propunha a demonstrar as relações existentes entre o comportamento violento, tal como foi medido na altura exata da ação em casos de homicídio, e as fases da Lua.

Para ele, como a própria superfície da Terra o corpo humano é composto de 80% de água e 20% de sólidos. Esta água do corpo contida em três compartimentos principais:

1 – O intravascular – a água no sangue, que tem aproximadamente a mesma composição da água do mar.

2 - O Extra-Celular – água flutuando livremente nos tecidos, banhando as células.

3 – O Intra-Celular – a água nas células.

A água corporal move-se normalmente entre os três compartimentos. O equilíbrio do líquido pode-se modificar, contudo, por qualquer alteração nos fenômenos corporais.

Excesso de água no corpo causa tensão, dilatação e irritabilidade nervosa. Quando a gravitação lunar desorganiza o equilíbrio do líquido, resulta daí que uma pessoa fica sob tensão propensa a exploração emocional.

Ao longo dos séculos, muitos já disseram: “Deve ser noite de lua cheia”, numa tentativa de explicar acontecimentos estranhos. E até hoje, o nome da deusa romana da Lua continua sendo familiar: Luna, prefixo da palavra lunático (um dos sinônimos para louco). O filósofo grego Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C.) e o historiador romano Plínio (23 – 79 d.C.), o Velho, sugeriram que o cérebro era o órgão mais úmido do corpo e, desse modo, mais suscetível às influências perniciosas da Lua, responsável também pelas marés. A crença no efeito lunar persistiu na Europa durante a Idade Média, se acreditava que alguns seres humanos se transformavam em lobisomens ou vampiros durante madrugadas de lua cheia.

Ainda hoje, muitas pessoas acreditam que os poderes místicos do satélite da Terra induzem comportamentos erráticos, surtos psicóticos e suicídios; crêem que, por deflagrar a agressividade, fazem aumentar o número de homicídios, de acidentes de trânsito, de violência por parte de torcedores e jogadores profissionais durante as partidas e até de mordidas de cachorro.
 Um levantamento realizado nos Estados Unidos revelou que 45% dos estudantes Universitários acreditavam que as pessoas afetadas pela Lua são propensas a comportamentos estranhos. Outras pesquisas sugerem que profissionais que trabalham com saúde mental podem estar mais inclinados do que as pessoas em geral a aceitar essa idéia.

Porém alguns estudiosos, críticos, já comprovaram que não há indício nenhum pra esses estudos:

Existem pelo menos três motivos, essa teoria pode “ir por água abaixo”. “Primeiro, os efeitos gravitacionais da Lua são muito pequenos para causar qualquer alteração significativa na atividade cerebral, que dirá, então, no comportamento.”

Em segundo lugar, a força gravitacional da Lua afeta apenas corpos de água abertos, como oceanos e lagos, mas não fontes contidas, como o cérebro humano. E, por último, o efeito gravitacional é tão forte durante a lua nova – quando ela é invisível para nós – quanto durante a fase cheia (quando se acredita que seu poder místico esteja mais intenso).
Porém o Dr. Lieber chegou à conclusão de que a influência dos ciclos lunares no comportamento humano e no fenômeno biológico é idêntica à que se verifica com as marés. Por outras palavras, a gravitação na água provoca no corpo humano uma pressão própria e estimula a atividade elétrica e hormonal.
Foi onde comecei a divagar e pensar, se a gravitação na água pode provocar no corpo humano uma pressão própria e estimula à atividade elétrica e hormonal, essa pressão e mesmo essa atividade elétrica poderia causar certo desconforto ao autista?
 Minha leitura em relação à lua é bem física, até pela minha formação em Ciências Biológicas, pois o módulo Geologia me despertou muito interesse, não somente no estudo de rochas milenares , mas nos astros. Esta visão voltada à astrologia não é visto pelo lado místico da questão, mas sim pelo lado influenciador a que tudo indica que a lua tem sobre as pessoas com necessidades especiais , não só eles, mas nos seres vivos em geral.
Mas essas teorias e pesquisas são apenas hipóteses minhas, sem nenhum cunho científico que possa comprovar, isso tudo com a ajuda de alguns médicos psiquiatras que também aprovam esse assunto e acreditam nisso.
Mas que a influência lunar tem haver se analisarmos em primeira mão, isso tem! Principalmente as mães de crianças portadoras de autismo . observem, se não é verdade.

Coincidência, não sei!
Fatos, não comprovados!
Reações, visivelmente perceptíveis!

Tenho notado que o meu filho realmente fica muito agitado nas mudanças de fases da lua.  Observe se você tem alguma pessoa especial na sua família e perceberá a diferença.
Qualquer coisa estou à disposição pelo
e mail:danny_bolzan @ hotmail.com
Abraços Daniela Bolzan.
Referências Bibliográficas:

6 comentários:

  1. Daniela
    Sou professora de Sala de Recursos e suspeitei do comportamento de um aluno meu, que sem motivo aparente, explode em nervosismo em alguns dias e não aceita contato físico. O laudo afirma ser DI, mas tenho minhas dúvidas.Pode ser autismo também. Ao observar o calendário, vi que este dia coincidiu justamente com a entrada da lua minguante. comecei a pesquisar e encontrei seu artigo. Se tiver mais conhecimento sobre a causa, por favor, me envie.
    Grande abraço
    Professora Lu

    ResponderExcluir
  2. Oi Daniela! vi seu vídeo muito lindo no youtube e vim visitar seu blog, eu tambem e meu irmão já observamos mudanças mudanças no comportamento do Matheus na mudança da lua.

    ResponderExcluir
  3. Oi Daniela! Meu nome é Andréa C.Gonçalves Reis, fisioterapeuta. Trabalho a 2 anos com crianças com transtorno do espectro autista, e descobri a 3 anos atrás que a Cecília, minha filha, também fazia parte desse grupo, apesar de investigar o possível diagnóstico desde muito cedo. Em relação a mudança da lua, posso afirmar que realmente a uma alteração significativa no comportamento, tornando se agitada, irritada e até mesmo agressiva. Parabéns pelo seu blog e pela atitude de criá-lo de forma que venha acrescentar na vida dos pais dos autistas. A benção de Deus Pai esteja contigo cada dia mais. Bjos

    ResponderExcluir
  4. Olá Dani! Sou professora e trabalho com autista algum tempo e realmente tem fundamento qd há mudança da lua há mudança no comportamento dos mesmos,

    ResponderExcluir
  5. Olá Dani! Sou professora e trabalho com autista algum tempo e realmente tem fundamento qd há mudança da lua há mudança no comportamento dos mesmos,

    ResponderExcluir
  6. Oi Dani tudo bem,sou mãe de um adolescente de 13 anos com autismo,desde de que tinha 5 anos observo alterações no comportamento e crises de agressividades,aumento de estereotipias e ansiedade no período da lua nova,mas sou sempre como louca pelos médicos por afirmar isso dizem que a lua não tem nada a ver,ouvindo relatos vi que não estou sozinha nessa opinião ,muitos autistas apresentam isso,independente da lua que se manifeste.É muito complicado pra ele ,ele é verbal mas tem dificuldades de comunicação,mas nota´-se o desconforto dele neste período.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, é muito importante saber sua opinião! Espero que este artigo tenha causado algo positivo em seu coração. Obrigada!